amazon 1

Mais de 12 mil crianças foram vacinadas em Manaus no Dia D de vacinação contra a pólio

Por Jony Clay Borges e Andréa Arruda em 08/06/2024 às 19:34:31

O Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite mobilizou crianças, pais e tutores neste s√°bado, 8/6, das 8h às 16h. Ao longo do dia, 12.442 crianças de 1 a 4 anos receberam a dose adicional da vacina oral (VOP), também conhecida como gotinha. A mobilização foi realizada pela Secretaria Municipal de Sa√ļde (Semsa), da Prefeitura de Manaus, que disponibilizou 367 postos de atendimento, entre unidades de sa√ļde, escolas, igrejas, estabelecimentos comerciais e postos volantes em todas as zonas da cidade.




Ao acompanhar a ação na Unidade de Sa√ļde da Fam√≠lia (USF) Frank Abrahim Lima, no bairro Novo Aleixo, na zona Norte da capital, o secret√°rio municipal de Sa√ļde, Djalma Coelho, ressaltou a importância da adesão da população em geral à campanha de imunização, de modo a evitar o ressurgimento da doença, erradicada no Brasil nos anos 1990.


"Uma comunidade com baixa cobertura vacinal est√° mais sujeita para que doenças j√° erradicadas graças às vacinas adentrem no território. Por isso, convocamos pais e tutores a levarem suas crianças para vacinar. Quem ama cuida, e quem cuida vacina", declarou.


Durante o Dia D, além das crianças de 1 a 4 anos, os pais tiveram a oportunidade de vacinar os beb√™s de 2 a 11 meses em atraso com o esquema vacinal.


Reforçando o chamado da campanha, a gerente de Imunização da Semsa, Isabel Hernandes, alertou para os riscos da doença para a sa√ļde da população. "A poliomielite é capaz de deixar sequelas para o resto da vida, da√≠ porque os pais precisam entender a importância e vacinar seus filhos. Temos muitas crianças suscet√≠veis, por conta das baixas coberturas vacinais, por isso é importante que cada pai faça seu trabalho e traga sua criança para ser vacinada contra essa doença".




Um dos pais que aderiram à mobilização neste s√°bado foi o empres√°rio Ismael Menezes, que levou o filho para tomar a gotinha na USF Frank Abrahim Lima. "É uma campanha muito importante de combate à paralisia infantil, então a gente não pode ficar de fora, né? A gente tem que aproveitar e fazer a nossa parte", disse.


Além dos atendimentos nos postos fixos e volantes, a Semsa Manaus fez busca ativa de crianças não vacinadas, por meio de visitas domiciliares, conduzidas pelos Agentes Comunit√°rios de Sa√ļde (ACS) em seus territórios de abrang√™ncia, em especial nas √°reas de dif√≠cil acesso.


Reforço


A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, idealizada pelo Ministério da Sa√ļde, começou no dia 27 de maio e encerrar√° na próxima quinta-feira, 14 de junho. O objetivo da ação é aumentar a cobertura vacinal contra a poliomielite e evitar a reintrodução do poliov√≠rus no Brasil.


Em Manaus, até o final da campanha, a meta é vacinar 123,7 mil crianças de 1 a 4 anos, o que corresponde a 95% da população total de 130.316 meninos e meninas nessa faixa et√°ria, de acordo com o Censo 2022.


Para Isabel Hernandes, apesar da mobilização deste s√°bado, é preciso aumentar muito a adesão dos pais à vacina. "Ainda não alcançamos nem 30% do p√ļblico-alvo", alertou.


Desde o in√≠cio da campanha, foram vacinadas 32.896 crianças, ou seja 24,5% do total. Dessas 19.454 foram vacinadas no per√≠odo de 27 de maio a 7 de junho e as outras 12.442 neste Dia D.




A campanha segue ao longo da semana, quando a população pode procurar uma das mais de 150 salas de vacina da rede municipal. Os endereços e hor√°rios de funcionamento das unidades podem ser consultados no site da Semsa (manaus.am.gov.br/semsa).


Livre


O pa√≠s registrou o √ļltimo caso de pólio em 1989, sendo certificado como livre da doença em 1994. No entanto, desde o ano passado, est√° em alto risco para a reintrodução do v√≠rus, de acordo com a Comissão Regional para a Certificação da Erradicação da Poliomielite na Região das Américas (RCC).


A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é causada pelo poliov√≠rus selvagem (PVS) dos tipos 1, 2 e 3, podendo infectar crianças e adultos. A doença não tem cura e normalmente causa sequelas motoras, sendo que os principais efeitos são aus√™ncia ou diminuição de força muscular no membro afetado e dores nas articulações, levando à paralisia dos membros inferiores nos casos mais graves.



Texto - Jony Clay Borges e Andréa Arruda/Semsa

Fotos - Artur Barbosa


Fonte: Semsa

Comunicar erro
AMAZON 2

Coment√°rios

AMAZON 3