AMAZON

Esposa de indigenista cobra apuração após relato de corpos encontrados

Informação que chegou à mulher de Dom Phillips é de que os corpos foram localizados. No entanto, autoridades negam essa versão

Por Otávio Augusto em 13/06/2022 às 15:38:00

A suposta localização de corpos no Vale do Javari, no Amazonas, onde desapareceram o jornalista inglês Dom Phillips e o indigenista Bruno Araújo Pereira, continua gerando polêmica. A esposa de Bruno, Beatriz Matos, cobrou esclarecimentos sobre a procedência da informação.


A crise começou após o conselheiro da Embaixada do Brasil no Reino Unido, Roberto Doring, ter supostamente informado, nesta segunda-feira (13/6), a familiares de Dom de que corpos foram encontrados. A versão foi sumariamente desmentida pela Polícia Federal.




"A Polícia Federal tem o compromisso de passar as informações para a família primeiro e para a superintendência de Manaus. Eles confirmaram para a gente que nenhum corpo foi encontrado, conforme nota oficial. É necessário que se apure de onde o embaixador tirou essa informação", reivindicou, em publicação no Twitter.



De acordo com a esposa de Dom, Alessandra Sampaio, as equipes de buscas teriam localizado os cadáveres dos dois homens.


A informação foi dada por ela ao jornalista André Trigueiro, do canal de notícias GloboNews. Um conselheiro da Embaixada do Brasil em Londres teria confirmado a localização dos corpos.


O jornal britânico The Guardian, onde Dom é colaborador, noticiou que os irmãos dele também foram informados da descoberta de dois corpos "amarrados a uma árvore em floresta remota".


A Polícia Federal e a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) negam que os corpos tenham sido encontrados e mantêm a versão de que eles continuam desaparecidos e que as buscas continuam.


Bolsonaro comenta


O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse, nesta segunda-feira (13/6), que os indícios levam a crer que foi feita "alguma maldade" com a dupla.


"Os indícios levam a crer que fizeram alguma maldade com eles, porque já foram encontradas, boiando no rio, vísceras humanas, que já estão aqui em Brasília para fazer o DNA. E pelo prazo, pelo tempo, já temos hoje oito dias, indo para o nono dia que isso tudo aconteceu, vai ser muito difícil encontrá-los com vida. Eu peço a Deus que isso aconteça, que os encontremos com vida, mas os informes, os indícios levam para o contrário no momento", disse Bolsonaro em entrevista à CBN Recife.


A Organização das Nações Unidas (ONU) criticou a ação "extremamente lenta" do governo brasileiro e cobrou que as autoridades "redobrem esforços" nas operações de busca.


O desaparecimento


Segundo a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), Dom Phillips e Bruno Araújo Pereira se deslocavam com o objetivo de visitar a equipe de vigilância indígena que atua perto do Lago do Jaburu. O jornalista pretendia realizar entrevistas com os habitantes daquela região.



De acordo com relatos, o desaparecimento ocorreu no trajeto entre a comunidade Ribeirinha São Rafael e a cidade de Atalaia do Norte. A dupla foi vista pela última vez no dia 5 de junho.



Ao todo, segundo a Polícia Federal, 250 agentes e dois aviões atuam nas buscas. A Justiça Federal já havia determinado que o governo acionasse helicópteros, embarcações e equipes de buscas da Polícia Federal, das forças de segurança ou das Forças Armadas para intensificar o rastreio dos desaparecidos.


Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.




Texto: Otávio Augusto
Fotos: Polícia Federal

Fonte: PF

Comunicar erro
AMAZON 2

Comentários

AMAZON 3